Concursos

NÃO HÁ APROVAÇÃO SEM REVISÃO!

Publicado por

em

ATÉ 20% DA SUA CARGA HORÁRIA DE ESTUDOS é o tempo que recomendamos que você dedique às revisões.
.
O cérebro tem uma espécie de PROGRAMAÇÃO PARA O ESQUECIMENTO. Ele precisa deletar informações o tempo todo para não se inviabilizar em um mar de memórias cotidianas de pouca utilidade futura, como o valor que você pagou ontem por um café.
.
Então, mesmo que você tenha mergulhado fundo em algum assunto (um livro, um filme ou uma aula), é NORMAL E ESPERADO que a memória de tais informações comece a enfraquecer logo nos primeiros dias. Após algumas semanas ou meses, a lembrança será vaga, distante e genérica. Permanecerá um fundo de compreensão do tema, fruto do seu processo cognitivo, alcançado pela razão. Mas os detalhes, em sua grande maioria, tendem a desaparecer da memória acessível.
.
A notícia boa é que o cérebro aceita pontuais reprogramações. Admite memórias de médio e longo prazo que normalmente não seriam mantidas, desde que você deixe claro que a informação não é corriqueira ou descartável e que você pretende fazer uso dela no futuro! É assim que conseguimos lembrar das nossas senhas, de datas importantes, endereços permanentes etc. A notícia ruim é que você precisa insistir um pouco, porque o cérebro pode ser teimoso ou preguiçoso, cabendo a cada um administrar a sua própria máquina.
.
São ferramentas básicas para uma boa memorização: REPETIÇÃO E EMOÇÃO. Repetição é a insistência periódica até fazer cara de tédio, sinal óbvio de que você já armazenou. Já a emoção representa uma espécie de atalho: memórias emocionais dispensam maiores repetições, pois são mais intensas. Explore isso nos seus estudos: quando estiver estudando um tópico, imagine o respectivo questionamentos caindo na sua prova e você recordando exatamente da informação; imagine você conferindo o gabarito com sua folha de respostas e acertando o teste exatamente em razão do que você está estudando no momento, então vibre com isso; transporte-se mentalmente por uns instantes para dentro do tema estudado, buscando relacionar a informação com imagens, lugares, pessoas, criando um filme mental sobre o tema. Permita-se!
.
Incremente o aspecto visual do seu material de estudos. Deixe-o mais leve e agradável. Aumente o tamanho da letra e insira elementos vibrantes, como cores e eventuais ilustrações. Textos muito comprimidos, em fonte pequena, preto e branco, são difíceis de revisar e de lembrar. Textos assim resume-se a um código alfabético explorado apenas sob o aspecto racional da leitura, enquanto uma disposição atraente da matéria provoca armazenamento visual e desperta também memórias intuitivas. Além disso, fichas leves e sequenciais, com pouca e objetiva informação, são mais dinâmicas do que os longos textos jurídicos. O simples movimento de alternância entre uma e outra espanta o sono na hora da revisão!
.
Recomendamos que você não deixe um tema estudado “esfriar” por longos dias antes da primeira revisão. Esse é o EQUÍVOCO MAIS COMUM E MAIS GRAVE. Se você revisar logo (no mesmo dia, no dia seguinte e por alguns dias sucessivos), a revisão será fácil, rápida e muito eficiente! Porém, se você estudar um tema hoje e só for pensar em revisar daqui a vários meses ou na véspera da prova, o trabalho será muito penoso, inefetivo e ainda frustrante: no meio da revisão você vai perceber que já não lembra mais de assuntos que havia compreendido bem (sim, você verá suas anotações à margem da folha e nem acreditará que são suas) e isso é destrutivo para a sua motivação!
.
REVISÃO DIÁRIA. Para quem pretende armazenar grandes quantidades de informação detalhada (e um concurseiro está nessa turma), a melhor estratégia passa pela revisão diária. Sim, é possível revisar diariamente. Basta um pouquinho de organização. O tempo de revisão diária pode variar de 10 a 40 minutos, conforme o seu ritmo e carga horária que vem estudando. O importante é ter a rotina. Uma sugestão: faça as revisões um pouco antes de dormir. Sua memória inconsciente vai fazer a festa. Você perceberá imediata diferença na capacidade de resgate das memórias. De brinde, você  ainda vai sentir mais confiança em seu projeto, experimentando uma sensação incrível como: “AGORA VAI”!
.
Então, se você tem um projeto sério e comprometido com a sua aprovação e está ciente de que ela será fruto de um trabalho organizado com retorno a médio prazo, você precisa ter um sistema de revisões. Nós recomendamos que elas sejam:
DIÁRIAS, em relação ao conteúdo estudado nos últimos 8/10 dias.
SEMANAIS, como uma espécie de recapitulação dos tópicos estudados nas últimas semanas.
MENSAIS OU BIMESTRAIS, como maratonas de fim de semana para manter aquecido o grande volume de conteúdo que naturalmente vai se acumulando.
.
Estamos juntos nessa!
Organize-se!
Revise!

Comente com Facebook

Sobre Charles Giacomini

Charles Giacomini

Juiz Federal na 4ª Região. Especialista em Direito Público. Professor na área jurídica desde 2004. Atuou como Defensor Público, Assessor Jurídico e Advogado. Professor na Escola da Magistratura Federal de Santa Catarina (ESMAFESC) e na Escola da Magistratura Federal do Rio Grande do Sul (ESMAFE-RS). Leciona Direito Internacional, Direito Econômico, Direito Tributário e Formação Humanística. Foi professor universitário das disciplinas de Direito Internacional e Direito Previdenciário. Atualmente exerce jurisdição na 3ª Vara Federal de Itajaí/SC, especializada nas matérias tributária, aduaneira, portuária, ambiental, comércio internacional e improbidade administrativa. Palestrante sobre carreiras públicas e concursos públicos. Aprovado nos concursos para Juiz Federal (TRF4), Juiz de Direito (TJRS), Juiz de Direito (TJMS), Defensor Público (DPESC), Defensor Público (DPEMT), Analista Judiciário – Área Judiciária (TRF4), Analista Judiciário – Oficial de Justiça (TRF4), Analista Jurídico (TJSC).

Recomendado para você